Ibaneis suspende retorno das aulas nas escolas públicas por tempo indeterminado

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

A decisão foi tomada em conjunto entre o governador e os secretários de Educação e de Saúde na manhã desta quarta-feira

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), juntamente com os seus secretários de Educação (Leandro Cruz) e de Saúde (Francisco Araújo), tomaram a decisão, na manhã desta quarta-feira (19/8), de suspender o retorno das aulas em escolas públicas do Distrito Federal por tempo indeterminado.

Os gestores entenderam que a medida é precaução no sentido de evitar mais contaminações pela Covid-19 a partir do convívio no ambiente escolar. Embora a rede pública tenha tomado uma série de medidas para evitar o contágio, como a desinfecção e sanitização de mais de 90% escolas públicas, Ibaneis e seus assessores diretos nas duas áreas acharam mais prudente adiar o retorno.

A medida coincide com a aceleração do número de casos e de mortes no Distrito Federal pela Covid-19. Os dados mais atualizados, registram que há 2.097 mortos em função do agravamento da doença e outros 140.170 infectados.

“Tomamos todas as providências para o retorno. Mesmo assim, chegada a hora do início, e como os números ainda são preocupantes, nossa decisão vai ser a de suspender as aulas presenciais por tempo indeterminado. Ao mesmo tempo, estamos reforçando a estrutura das atividades on-line, tudo no sentido de causar o menor prejuízo possível para as famílias”, disse Ibaneis à coluna Grande Angular.

O governador do DF também anunciou que vai usar o período em que as escolas estiverem fechadas para promover a reforma em todas as unidades de ensino que necessitem de intervenções. “Vamos fazer um trabalho muito importante de revitalização, troca de carteiras, pintura, reparos e até mesmo construção de novas escolas”, disse Ibaneis.

O chefe do Executivo afirmou que não vai interferir no calendário de retorno das escolas privadas e que esta decisão caberá às instituições particulares. As aulas nas instituições privadas do DF estão suspensas por força judicial.

Com informações do Metropoles.com / Lilian Tahan

Artigo anteriorMP vai prorrogar auxílio emergencial até dezembro, mas não deve ser R$ 600
Próximo artigoAbraji lança curso para fortalecer o jornalismo local no Brasil com apoio do Facebook